Safra paranaense recua 13% devido ao clima

Defensive Agrovant > Notícias > Safra paranaense recua 13% devido ao clima

Levantamento do Deral (Departamento de Economia Rural) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento mostra que o Paraná deverá colher 36,2 milhões de toneladas de grãos em 2018. A redução é de 13% em relação à safra 2016/2017, e o clima é o principal fator de influência sobre essa estatística.

A falta de chuva entre os meses de abril e maio prejudicou o desenvolvimento dos grãos. As reduções mais significativas foram registradas na produção de milho e feijão.

“Nesta safra, tanto as culturas de primavera/verão – o feijão, o milho e a soja – quanto para a segunda safra de feijão e milho sofreram com as variações climáticas. Isso se caracterizou principalmente na segunda safra de milho, com o clima mais seco e falta de chuva. Essa foi a principal causa da redução de cerca de 7 milhões de toneladas em relação à produção de 2016/2017”, diz o secretário estadual da Agricultura, George Hiraiwa. “Por outro lado, se o produtor obteve produtividade menor nessas culturas, está tendo a oportunidade de comercializá-las a preços superiores. Isso deve compensar parte das perdas”, acrescenta.

Segundo o chefe do Deral, Marcelo Garrido, a produção de soja no Paraná se confirmou acima das 19 milhões de toneladas neste ciclo. Os preços atuais, cerca de R$ 72 a saca de 60kg, são em média 23% superiores aos praticados em junho de 2017. Até o momento cerca de 68% da safra já foi comercializada.

A colheita da segunda safra começa com expectativa de produção frustrada, com 3,5 milhões de toneladas a menos, na comparação com a safra anterior. “A previsão de produção é de 9,4 milhões de toneladas, uma redução de 29%”, afirma o responsável técnico do Deral Edmar Gervásio.

Em relação à expectativa inicial de produção para esta safra, a perda é superior a 2,7 milhões de toneladas. A área de milho plantada na segunda safra foi de 2,1 milhões de hectares, uma redução de 12%. Essa expectativa de produção menor repercute nos preços, que continuam superiores a R$ 30 a saca de 60 kg no Paraná, diz Gervásio.

Feijão e trigo

Para a segunda safra do feijão, a estimativa de produção é de 275 mil toneladas, uma redução de 21% em relação ao ciclo passado, quando foi de 346,6 mil toneladas. Em comparação com a estimativa inicial, a redução é de 107 mil toneladas, ou 28%. A estimativa inicial era de uma produção de 382 mil toneladas. A redução é um reflexo da longa estiagem pela qual a Paraná passou no período.

A expectativa de produção para o trigo nesta safra é de 3,4 milhões de toneladas, devido ao aumento de área de 9% em relação à safra passada. O acréscimo ocorreu em função dos preços, que atualmente estão em R$ 50, cerca de 59% a mais do que no mesmo período do ano passado. Cerca de 93% do trigo já está plantado, mas a seca atrapalhou o desenvolvimento da lavoura.

Fonte: http://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/safra-paranaense-recua-13-devido-ao-clima-173468

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *